terça-feira, 17 de agosto de 2010

No circo da vida, quem ri é o palhaço.


Acredito que todos algum dia na vida já foram no circo. Sim, o circo, aquele espetáculo, onde humanos e animais fazem coisas impressionantes. Aquele local colorido, alegre. Aquelas arquibancadas de madeira que dão a péssima impressão de que poderão desmoronar a qualquer momento, aquelas enormes tendas de inúmeras cores. Você, criança, chegando com sua mãe ou qualquer outro familiar. Segurando uma maça do amor de um lado, a mão de sua mãe do outro. Você senta na tal arquibancada de madeira e ali vê elefantes, malabaristas, macaquinhos, equilibristas. Mas o momento mais esperado costuma ser sempre o bom e velho palhaço. Afinal, ele está ali para fazer rir, não é? Durante o seu espetáculo, nós rimos. Durante seu espetáculo, aqueles em que faltam um pouco de sensibilidade, por vezes até o ridicularizam. Afinal, ele é um homem que dá a cara pra bater. Diante de muitas pessoas ao longo de sua vida ele apresenta seu espetáculo. Ele enfrenta a platéia. Ele não se envergonha de ser quem é, o palhaço. Aquele que usa roupas coloridas. Aquele de quem as pessoas riem. Mas ele não se importa, sabe por quê? Enquanto você ri, o pobre palhaço está batalhando. Batalhando pela vida, trabalhando. Ser palhaço é seu ofício, ele se orgulha disso.
A vida é como um circo. Todos os dias cada um de nós apresenta nosso “espetáculo pessoal”. Às vezes existem espectadores interessados, outros que não prestam menor atenção. Assim como no circo, existem aqueles que adoram ridicularizar o nosso espetáculo individual. Adoram rir. Afinal, nós somos os palhaços, não é? E na vida, palhaço é pejorativo. Somos os alvos das chacotas, das piadinhas, das risadas. Somos entretenimento pra aqueles que não possuem capacidade de criar o próprio espetáculo. Afinal, ser palhaço é um dom.
Mas nós, palhaços da vida, nos dedicamos ao nosso espetáculo individual. E enquanto existem aqueles que riem, nós batalhamos. Tal qual o conhecido palhaço do circo, nós batalhamos pela vida. Aprimoramos nosso espetáculo. Tentamos melhorar a cada dia. Não damos importância pras risadas, temos orgulho de ser quem somos.
No circo da vida, o palhaço é que se torna o verdadeiro homem. Aquele que cresce, que evolui. Pois enquanto você passou a vida rindo, ele estudou, trabalhou, aprendeu com seus próprios defeitos, foi capaz de se auto-criticar. Enquanto você perdeu tempo rindo dele, ele usava esse tempo pra ser melhor do que nunca. E ai rir dele se torna motivo de vergonha pra você mesmo, afinal, será que você também evoluiu?
E é ai que fica nítida a diferença entre aquele circo colorido que íamos quando crianças e o circo da vida. Neste último, no fim das contas, quem ri é o palhaço ;)
Postzinho dedicado a algumas pessoas medíocres com quem sou obrigada a conviver. Se a carapuça servir, sinta-se a vontade, e vista-a! ;)

3 comentários:

Anderson Soares disse...

deus te deu o don das palavras, e vc está sabendo usalas com perfeição,está ai um lado seu q eu não conhecia.
todos nos somos os palhasos da vida,agora cabe a cada um de nós saber se ri ou apresentamos o espetáculo.
parabéns isto q vc escreveu ficou muito lindo

Lucas disse...

Voce escreve muito bem amor, incrivel como voce tem talento, nao só escrevendo sobre livros, mas tambem em outros assuntos. Voce se expressa muito bem, possui uma grande capacidade de "mostrar" aos leitores seus pensamentos, faz despertar interesse pela leitura em muitas pessoas. Isso pude perceber lendo seus posts, me despertaram grande interesse em ler os livros que voce leu, mesmo eles sendo de tamanho exagerado hahaahha.

Sou um leitor iniciante, coisa de 1 ano e meio,
agora por exemplo graças a voce eu nao consigo mais parar de comprar livros e fico todo dia programando quais eu vou ler, quais eu vou comprar quando sobrar dinheiro auauahauhauaa

Li apenas "Caim" do mestre Saramago, foi um livro que havia comprado faz um tempo, mas nao possuia muita vontade de ler graças a dificuldade em leitura que eu tinha e pela gramatica que o autor usa, porem com o tempo e apos ler alguns livros antes, acabei despertando interesse por seu estilo peculiar de escrita, sua capacidade de prender o leitor em sua historia é incrivel, pretendo ler mais obras dele (começando por aquele livro que voce imprimiu auauahauahauha), alem disso nao li nenhuma obra de Anne Rice, porem percebo atraves de seu comentario sobre a Hora das Bruxas que a autora "sabe o que faz" em seus livros. Mesmo sendo 2 volumes que eu considero muito pra mim por enquanto (aaauhauahauahau), vou tentar ler nas ferias desse ano.

Amor te dou todo o incentivo possivel, escreva mesmo, registre seus pensamentos, suas ideias, leia mais, leia muito. Eu estou lendo, estou estudando, voce me fez ter interesse, me fez ter vontade de aprender e de ler mais.

obrigado por me incentivar, em breve vamos comprar MAIS livros auauahauahauahuaha

amo voce mais que tudo!!

Shini disse...

Meu, analogia perfeita... Parabéns pelo texto ^^

Postar um comentário