sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O Pequeno Príncipe - Saint Exupéry

Editora: Agir
Autor: Antoine de saint-Exupéry
Ano: 2006
Número de páginas: 96

Antes de tudo quero levantar algumas perguntas:
“Como apresentar de forma simples uma das mais profundas histórias da humanidade?”
“Como alcançar a verdade, que é tão profunda e subjetiva que precisa ser bela?”
“Como explicar algo que é compreendido por mais de uma centena de países em suas diferentes línguas?”
São essas respostas que não pretendo apresentar. É impossível.
A história começa com um homem já adulto, e seu relato do início de sua carreira de pintor. Ele, em sua tenra idade de 5 ou 6 anos, desenha uma Jibóia com um protuberância em sua barriga...Ora, ninguém entende! Para esclarecer ele desenha uma jibóia aberta (só o contorno) com um elefante em sua barriga, gerando a protuberância. Os homens adultos olham aquele desenho e dizem à ele “Esqueça os desenhos, faça algo mais sério, como matemática, história ou geografia”. Era o fim de sua carreira como pintor.
                E ele cresce como querem que cresça e se torna um piloto. Em um belo dia, sobrevoando sozinho um deserto, seu avião sofre uma pane e cai. Ele tem apenas oito dias de suplemento de água para consertar seu avião, após isso, era morte.
                Nessa paisagem desolada e desesperadora, ele dorme a primeira noite inquieto e preocupado.
                Ao amanhecer uma vozinha animada o acorda: “Desenha-me um carneiro?”
                ......

 De olhos arregalados e boca aberta, o Piloto se depara com um garoto, um principezinho, de cabelos loiros e boca rosada e um sorriso ingênuo no rosto. Como o homem não respondia nada, o principezinho pergunta de novo “Desenha-me um carneiro?”
E é à partir desse improvável encontro que surge uma verdadeira amizade, e o pequeno Príncipe traz através de sua história e de seus diálogos as mais escancaradas e belas verdades sobre o mundo: A simplicidade da vida, a existência do Amor, o significado da Amizade, e a ingenuidade pura e desinteressada.
O Pequeno Príncipe resgata a criança dentro de nós e mexe com nossos sentimentos mais profundos e nos mostra como as coisas, que o mundo adulto valoriza, são vazias e sem significado; ele fala também sobre a arrogância, o vício, a ignorância e a avareza como os principais problemas do mundo adulto, e como eles são capazes de cegar aqueles que se perdem neles.
O principezinho ainda nos apresenta um outro lado da existência: a confiança e a criatividade de uma mente livre, e como essa mente é capaz de superar nossas barreiras e nossos conceitos de Bem e Mal, Certo e Errado.
O Pequeno Príncipe de Saint Exupéry é um livro excepcional, profundo, simples, lindo e eterno. É um livro para crianças, jovens e adultos, pois a cada época da vida, haverá um significado profundo a ser resgatado ou apreendido.
Este é um livro para ser lido, para se ter e para presentear.


Nádia F. de Godoy

4 comentários:

Marina Risther Razzo disse...

O Pequeno Principe é uma obra atemporal. É de uma sensibilidade tão imensa que cativa qualquer pessoa. É o tipo de livro que deveria ser lido e relido, e que com certeza, cada vez que lermos novamente irá tocar nossos corações de uma maneira diferente.

Belíssimo. Li quando era adolescente e sem dúvida, preciso ler novamente. Com certeza veria com outros olhos.

;***

Allyson disse...

Sigam meu blog?
www.allysonebooks.blogspot.com
bjj*-*

Yan Masetto disse...

Olá ...
Não tive tempo ainda para ler e comentar assiduamente, mas adicionei pela conta google o Blog. Muito bem feito, parabéns.
Obrigado a frequência no SSociável, e perdão pela falta de postagens novas.
Em breve, teremos mais !

Pah Montanari disse...

Comoa rgumetnar com verdades universais? Às vezes perdemos o sentidod elas quando crescemos...nos perdemos do caminho...

Um dosm eus livros preferidos!!

P.S.: Thanks ao Yan por passar aqui ;)

Postar um comentário