quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel - J.R.R. Tolkien

  • Editora: Martins Fontes
  • Autor: J.R.R. TOLKIEN
  • Ano: 1954
  • Número de páginas: 434
    ___________________________________________________________________
    "Algumas pessoas que leram o livro, ou que de qualquer forma fizeram uma crítica dele, acharam-no enfadonho, absurdo ou desprezível; e eu não tenho razões para reclamar, uma vez que tenho opiniões similares a respeito do trabalho dessas pessoas, ou dos tipos de obras que elas evidentemente preferem." - J.R.R. Tolkien                 

        Curvo-me diante de Tolkien para contar brevemente a história de minha relação com o autor do "Senhor dos Anéis" até pouco tempo atrás. Quando o primeiro filme da trilogia que se tornaria um marco do cinema mundial estreiou, eu tinha 11 anos e estava no auge da minha adolescencia. Chata, impaciente, ranzinza e muito, muuuito rebelde. Junte isso, uma prima igualmente rebelde e um filme de mais de três horas e o resultado só poderia ser catastrófico: eu simplesmente não consegui assistir ao filme. Ao invés disso fiquei conversando, fazendo bagunça, jogando pipoca nas fileiras da frente (sim, eu fazia isso!) e entrando e saindo do cinema toda hora. Até hoje não consigo entender como não fomos expulsas. Graças a essa experiência, O Senhor dos Anéis se tornou um granda trauma na minha vida. Sequer podia ouvir falar no filme, livro ou qualquer coisa relacionada. Quando saía o filme em DVD e meus pais alugavam pra assistir, eu me recusava a ficar em casa, pois não queria nem ouvir. Uns dois anos depois, tentei ler o livro, e bom, não passei das 100 primeiras páginas. Motivo? Como toda boa adolescente birrenta, eu apenas não tive vontade de continuar lendo. Isso fez com que demorassem longos 9 anos desde meu primeiro contato com o mundo de Tolkien para que eu criasse coragem e lhe desse outra chance. Desde então assisti aos filmes, li O Silmarillion, O Hobbit e agora o primeiro volume do Senhor dos Anéis. Curvada diante de J.R.R. Tolkien, humildemente, só tenho uma coisa a dizer: "Me perdoe por ter sido uma menininha chata, tio Tolkien, você é O CARA!"


    O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel, narra a viagem de Frodo e seus três amigos, Sam, Merry e Pippin, todos hobbits, através da Terra-Média até as Fendas da Perdição, onde deverão destruir o Um Anel, o Anel do Poder, para assim impedir o domínio de Sauron, Senhor do Escuro. Durante essa viagem passam por inúmeras aventuras e problemas. Fazem muitos amigos, muitos inimigos, trombam diversas vezes com Os Cavaleiros Negros, e conhecem Aragorn, ou Passolargo, que os ajuda a chegar em Valfenda, onde conhecem elfos, fazem mais amigos e onde surge A Sociedade do Anel. Nove pessoas ao todo, incluindo os jovens hobbits, são designadas a protegerem o anel e o levarem até seu destino. Aragorn, Gandalf, Frodo, Merry, Sam, Pippin, Gimli, Boromir e Legolas se juntam e em sua jornada, como já era de se imaginar, enfrentam os mais diversos perigos.                                                                                                        

        A forma como Tolkien narra é sensacional. Em certos momentos é como se ele falasse diretamente com o leitor. Extremamente detalhista ele é, o que pra muitos faz com que a leitura se torne cansativa. Eu, no entanto, discordo. Apesar de ser minucioso ao descrever certas passagens, o livro tem ritmo e sua leitura é agradável. Também porque, Tolkien criou um novo mundo, com novas criaturas, novas línguas, novos lugares, ou seja, é mais do que óbvio que havia necessidade de descrever tudo, como por exemplo nas primeiras páginas, onde ele conta quem são os hobbits, como eles são, como se comportam, etc. Porém não há apenas longas descrições. O livro também possui capítulos recheados de diálogos, fazendo com que, mesmo pra aqueles que detestam leituras muito descritivas, consigam ler tranquilamente.

       O livro é dividido em duas partes, e na primeira é narrada toda a viagem de Frodo e cia. antes de chegarem em Valfenda. Confesso que esse início não é de todo empolgante. Apesar de muita coisa acontecer, certos trechos são um pouco repetitivos. Já na segunda parte, quando os hobbits se juntam aos outros companheiros de viagem, as coisas melhoram muito. Li mais de 200 páginas em apenas uma tarde, de tão empolgada que fiquei. O acréscimo de mais personagens à história nesse ponto, provavelmente é o que torna tudo mais interessante. Mas não me entendam mal: não disse que o início do livro é ruim, pelo contrário, é excelente e de extrema importância. Apenas quis dizer que a leitura dessa parte é um pouco cansativa, mas ainda assim, sem dúvidas eu adorei!

         O filme é bem fiel à história, porém como boa leitora que sou, obviamente sou muito mais o livro. Muitos detalhes que são inclusive importantes pra dar mais sentido a história são meio que deixados de fora do filme. Achei que faltou um pouco mais de informação à versão cinematográfica, mas essa é apenas minha opinião. De qualquer maneira, qualquer um que tenha gostado do filme tem que ir já ler o livro, pois este é bem mais rico e interessante.

        Algo que adorei foi o fato de algumas histórias narradas em O Silmarillion terem sido contadas neste livro. Principalmente porque a mais contada foi justamente a que eu mais havia gostado quando li O Silmarillion: de Beren e Luthién. Aliás, aqui vai uma dica: pra entender a história definitivamente não é necessário ter lido tanto O Silmarillion quanto O Hobbit, porém ler O Senhor dos Anéis após ter lido os outros faz com que você mergulhe mais na história e em alguns personagens citados. Pra quem puder ler primeiro esses dois, leia! Pra quem já leu a trilogia, também não deixe de ler as outras obras de Tolkien, pois todas elas acrescentam demais à história.

        J.R.R Tolkien foi sem dúvida a maior descoberta que fiz em 2010. A riqueza de suas obras e o quanto elas nos cativam é impossível de explicar com simples palavras. Tolkien revolucionou o mundo da fantasia e até hoje é ícone e inspiração pra escritores do gênero. Ao mesmo tempo que me arrependo amargamente por não ter lido antes, acho que no final das contas foi bom, pois agora tenho maturidade pra absorver e apreciar muito mais seu conteúdo do que teria anos antes.

       Agora além de ler os outros dois volumes da trilogia, estou absurdamente maluca pra ler TODOS os outros de Tolkien, como Os Filhos de Húrin, As Aventuras de Tom Bombadil, Contos Inacabados. Meu aniversário está chegando, bem que eu podia ganhá-los de presente haha! :)


       
        É isso ai pessoal, como acredito que está é a última resenha do ano, Feliz 2011 pra todos. Até o ano que vem! ;)

    Mais resenhas do mesmo autor:
    O Hobbit
    O Silmarillion

6 comentários:

Alex disse...

Gostei da descontração da resenha. Realmente o mundo criado por este inglês é extraordinário, um trabalho encantador. Eu confesso que sou fã de fantasia e aventura e por isso sou suspeito de dizer algo, acabaria sendo imparcial. Só tenho, portanto, admiração por esta magnífica obra, que li por puro deleite, livre de qualquer pedantismo literário que havia absorvido por um tempo. Literatura também é prazer. Em relação à primeira parte, “A sociedade do anel”, talvez o seu início seja o melhor trecho do livro. A expectativa para a longa viagem e os esclarecimentos do Mago sobre alguns aspectos definem bem como será a obra. Também o encontro com a personagem Tom Bombadil é sensacional. A personagem mais misteriosa e curiosa da história. Enfim, um livro para ler e ser relido. Mais uma vez, parabéns pela resenha, Marina. E feliz 2011!

Abraços.

Kel disse...

Oh Mari! Levada mesmo hein! ahahahhaha.

Eu também sou louca pelo Tolkien, mas só agora também vou conseguir ler o livros graças as férias!

Bjs e Feliz Ano Novo para você também e toda sua família!

Leonardo Mendes disse...

Sou apaixonado tanto pelo livro quanto pelo filme. O livro é cheio de detalhes que em "apenas" 3 horas de de filme é impossível contar. Na minha opnião Peter Jackson fez uma adaptação memorável, já perdi a conta de quantas vezes assisti a trilogia.
Graças a Deus não assisti ao filme na mesma sala de cinema que você..hehe.
Parabéns pela resenha.
bju

Lucas disse...

Perfeito, ótima resenha. Ótima descontração também hahaha.
Ja perdi a conta de quantas vezes assisti a trilogia "Senhor dos Aneis", porem ainda assim os filmes nao se tornaram cansativos. Parece que cada vez que voce assiste, existe la no fundo uma vontade de ver novamente e digo isso pois o Mundo criado por Tolkien simplismente é "FODA". Cada vez que voce assiste parece que mais e mais peças se encaixam, dando realmente um sentido muito complexo mas ao mesmo tempo muito bom de ser apreciado.
Tambem passei pelo mesmo, quando mais jovem sempre tive curiosidade de ler a trilogia, mas nao possuia habito em leitura e isso dificultava as coisas um pouco. Recentemente, aproveitanto uma promoçao relampago de um site na internet, acabei por adquirir nao só a trilogia mas tambem O Silmarilion e O Hobbit, todos a preço de banana. Agora sim vejo que nao ha desculpa para nao ler, alem de ter criado certo habito em leitura e nao ter mais "medo" de certos livros que por ventura a sociedade julga como complexos e cansativos, toda a trilogia e é claro os outros dois livros serao minha prioridade este ano.

Volto a te parabenizar pela resenha, muito boa e faz com que as pessoas tenham muita vontade de se aprofundar no mundo de Tolkien

Feliz 2011

Amo voce

A.J.J. Marchi disse...

Olá.
Ótima resenha sobre a Sociedade do Anél. J.R.R. Tolkien ainda consegue nos prender em outro mundo até mesmo hoje, em poucas paginas que lemos de seus contos podemos criar milhões de coisas em nossa cabeça. Você está de parabéns pelo blog.

Estou seguindo você, siga a gente.

Ruama disse...

Oi! Tolkien é merecedor de muita admiração, ele é muito essencial no muito da literatura e concordo com vc, ele é o cara!
Amo autores que fazem uma abordagem mais descritiva do que está sendo tratado e na minha opinião Tolkien faz isso muito bem, as vezes exagera um pouquinho, o que deixa o livro em determinadas partes meio cansativo. Mas acho toda sua descrição essencial, afinal de contas, como vc disse ele criou um novo mundo e precisa descreve-lo para nos permitir conhecer.
Me apaixonei por esse autor e minha curiosidade só aumenta para ler outros livros dele.
Fico feliz que tenha amadurecido suas ideias em relação a estória. É tão bom e gratificante quando percebemos que estamos evoluindo né?!
Ótima resenha.
Bjs, Ruama.
http://esquiloscorderosa-ruama.blogspot.com.br/

Postar um comentário