quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Resenha: O Silmarillion


Autor: J. R. R. Tolkien
Editora: WMF Martinsfontes
Páginas: 388c + mapas, organogramas e glossário.
               
               ( Antes de tudo - sim, eu sei que já tem uma resenha do Silmarillion aqui no Outra Xícara. Mas, acredito que nada como uma visão diferente sobre um mesmo assunto para podermos fazer uma análise crítica sobre ele... então.... fiz a resenha. =P )

                Como falar de uma obra-prima?
                O Silmarillion é a reunião de lendas escritas por Tolkien ao longo de toda sua vida, e só foi publicado 4 anos após a morte de seu autor. Também é a obra mais velha de Tolkien, que começou a escrevê-la em 1917, em rascunhos feitos à lápis.
                O Silmarillion, na verdade são cinco livros reunidos que, na língua élfica, se chamam:
AINULINDALË (A Música dos Ainur), VALAQUENTA (Relato dos Valar), QUENTA SILMARILLION  (a História das Silmarils), AKALLABÊTH (A Queda de Númenor) e o quinto livro que está mais para um pós-fácio, DOS ANÉIS DE PODER E DA TERCEIRA ERA.

Resumo do livro:
                O primeiro livro, AINULINDALË, fala sobre a divindade suprema (Eru Ilúvatar), e sobre a criação do mundo.
                Pois Eru, ou Ilúvatar, criou os Ainur, seres-espírito para lhe fazer companhia. Tais Ainur, tinham o dom da música, não como o canto, que é feio de palavras e se restringe ao som. Era uma música de cores, sons, sentidos e vida.
                Assim, um dia, Ilúvatar, lhes deu um tema para cantarem e eles cantaram lindamente por eras, e em continuidade Ilúvatar lhes deu mais dois temas, e eles cantaram todos esses temas, cada Ainur com sua essência sendo aplicada no tema cantado. Porém, um deles, chamado Melkor, começou a desenvolver pensamentos de egoísmo, arrogância e prepotência, e começou a inserir na melodia seus pensamentos, inserindo a maldade nos temas cantados.
                Para contrapô-lo, Manwë, que era o mias forte dos Ainur, se contrapôs a Melkor, junto com outros Ainur.
                Quando terminaram a música, Ilúvatar lhe apresentou em visão a concretização da música que criaram, e lhes deu a opção de ir lá viver. E alguns dos Ainur escolherem entrar nesse mundo, e para lá foram, muitos inclusive Manwë e Melkor.
                À criação dos Ainur, foi dado o nome de Arda, e os Ainur que para lá se dirigiram, foram chamados Valar, e junto aos Valar vieram outros que são da mesma essência, porém inferiores, e esses foram chamados Maiar. E assim, começou o mundo.
                O segundo livro, VALAQUENTA, fala sobre a primeira Era de Arda, que foi sua criação e construção, e sobre ela trabalharam muitos dos Valar, como Manwë, Ulmo, Yvanna, e tantos outros, sendo que cada um ficou responsável sobre uma parte de Arda (uns sobre a água dos rios outro sobre as do Mar, outros sobre a terra, outro sobre as plantas e animais, outro sobre os ventos, etc).
                Melkor porém teve inveja de tudo o que era criado por seus iguais, e o ódio nascia e crescia em seu coração, e ele almejava ter para si tudo o que foi criado, e aquilo que não conseguisse ter, ele decidiu destruir.
                Assim, o segundo livro fala sobre a luta entre os Valar de pensamento puro, liderados por Manwë contra Melkor.
                E desde o início, o mundo começou com maldade.

                O terceiro livro QUENTA SILMARILLION fala sobre a estruturação da arda e a criação das Terras do Oriente, ou as Terras de Cá, onde inicialmente Melkor se escondeu, e existia apenas a escuridão. E sobre a criação de Valinor, ou as terras do Ocidente, onde viviam os Valar, e a luz provinha da maior criação de Yvanna, duas árvores que reluziam eternamente com a luz de Ilúvatar.
                Foi durante essa era que surgiram os primeiros dos Filhos de Ilúvatar, os que ficaram conhecidos como Eldar, ou Elfos. E eles eram amados pelos Valar e odiados por Melkor.
                Esse livro relata o surgimento de toda uma espécie e sua estruturação, e também relata a criação e a sina das Silmarils, e da separação dos eldar em casas, sendo a mais famosa delas e casa dos Noldor.
                Durante esse livro surgem também os anões, e os Edain, que são os Filhos mais Novos de Ilúvatar, ou os Homens. E conta também sobre seus feitos, guerras, e histórias impressionantes.
                E durante todo o tempo, as forças dos Valar, e de Melkor se chocam, numa briga sem fim.
                O QUENTA SILMARILLION é o maior do livro e é onde se encontra praticamente toda a história da primeira e segunda Era de Arda. E é onde refulgiram em esplendor e declínio muitos reinos e raças. E é onde se relata a queda de Melkor e a elevação de seu sucessor, Sauron.
                O quarto livro AKALLABÊTH fala sobre um povo especial da raça dos Homens, que em conseqüência de suas escolhas, foram agraciados pelos Valar com vidas mais longas, saudáveis, sábias e belas. Esse povo era o povo de Númenor, os Númenorianos  e eles viviam em uma ilha criada especialmente para eles, entre as Terras do Oriente e do Ocidente.
                Esse livro relata o apogeu e o declínio desse povo e como esse povo foi responsável por separar quase definitivamente o mundo de Valinor do resto de Arda
                Após a queda de Númenor, Arda sofreu uma enorme transformação em sua estrutura . e foi esse o povo responsável por tornar Arda um lugar redondo, onde nunca se chega ao fim do mundo e sempre se volta para o mesmo lugar, preso a uma mesma realidade cheia de sofrimento. Assim, foi criada a Terra Média.
                O Quinto e último livro, é um resumo sobre o início da Terceira Era, em que todos vivam na Terra Média;  em que os eldar eram poucos e a terra era povoada principalmente pelos edain,  pelos anões, e por criaturas sinistras criadas por Melkor e por Sauron.  DOS ANÉIS DE PODER E DA TERCEIRA ERA, é o livro que introduz a história que nos foi contada em O SENHOR DOS ANÉIS.
Fim do Resumo.
               
                Silmarillion é, se me permitirem a comparação, a Biblia do mundo criado por Tolkien. Nele contém todos os relatos necessários que nos trazem à Terra Média como ela é hoje. E é fundamental para se compreender totalmente aquilo que Tolkien escreveu, pois os textos constantes em Silmarillion, são anda mais que as criações que deram base para que Tolkien escrevesse O HOBBIT  e O SENHOR DOS ANÉIS.
                Quanto à leitura do livro, serei sincera. Pode ser árdua. Silmarillion, é um livro para ser saboreado, lido lentamente e sem desespero. Pois ele é detalhista e complexo, e para se lê-lo corretamente, é necessário que se pare muitas vezes e se analise os mapas e os fluxogramas que o acompanham. E se você quiser lê-lo com toda a carga criativa que ele é capaz de proporcionar, vc deve, antes de tudo, estudar atentamente as pronúncias da fala élfica, pois durante todo o livro, o idioma é e será usado.
                Àqueles que pretendem se aventurar, digo duas coisas, “Tenham calma” e “Divirtam-se”, pois é a maior viagem que se pode fazer a outro mundo.
                E àqueles que não leram NADA do Tolkien, vcs tem duas escolhas: começar pelo começo e serem fortes para superar a leitura do Silmarillion, ou começar pelos outros livros e depois de tudo, voltar para o Silmarillion. Ambas as escolhas tem suas vantagens e suas perdas.

                Silmarillion é lindo. É intenso. E é para poucos.

Postado por Nádia

4 comentários:

Yan Masetto disse...

Tolkien é para poucos. Parabéns ! Estou lendo o primeiro da trilogia, e nossa, é de perder o fôlego.

Marina Risther Razzo disse...

Um dos meus livros favoritos, pra não dizer O meu livro favorito!
Fiquei encantada qdo li, e sim, foi o primeiro livro que li de Tolkien, e apesar da leitura não ser fácil, não fiquei nem um pouco traumatizada ahuahaihuahiauhaiauhia!

A parte de Beren e Luthién é a coisa mais linda do mundo! (falo isso sempre, mas é verdade, sou encantada)

;*

Maria Clara disse...

Boa indicaçao, agora tenho gostado um pouco mais do genero fantasia, irei procura-lo...

entra no meu blog também? please...

http://www.insulisdilectio.blogspot.com/

Pah Montanari disse...

Nunca li Tolkien, mas me interessa muito...vou criar coragem!!
Tá perfeita a resenha!

Postar um comentário