sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Os Homens Que Não Amavam As Mulheres - Stieg Larsson

  • Editora: Companhia das Letras
  • Autor: STIEG LARSSON
  • Ano: 2005
  • Número de páginas: 524

    O autor sueco Stieg Larsson não viveu para ver suas obras fazerem um tremendo sucesso. Azar pra ele, mas muito mais ainda azar para nós, órfãos leitores, que não teremos mais livros tão bem escritos e tramas tão excelentes como o autor provou com a Trilogia Millenium ser capaz de criar.

    Mikael Blomkvist era um jornalista sócio-proprietário da revista Millenium cujo principal objetivo era desmascarar, criticar e expor fatos que outros não teriam coragem de fazer a respeito da economia e seus maiores figurões. Mikael era um crítico, muito bem sucedido, diga-se de passagem. Já havia escrito livros, e costumava ser bem elogiado em sua área. Era apegado a ética e só publicava aquilo que seria capaz de provar. Isso até o caso de Hans-Erik Wennerström. Uma informação que poderia levar o império Wennerström a ruína foi passada para Mikael através de um amigo, e sem verificar a total veracidade dos fatos e sem antes se certificar que poderia provar o que dizia, Mikael publicou uma super matéria detonando Hans-Erik e suas empresas. Por esse enorme deslize Mikael foi processado e condenado a 3 meses de prisão. Para não prejudicar (ainda mais) a credibilidade de sua revista, bem como de seus sócios Érika (que por sinal era sua amante ocasional de Mikael) e Christian, ele decide se afastar até a situação se tornar mais branda. E devido a essa brecha, Henrik Vanger procura Mikael para contratá-lo para dois trabalhos, um simples e outro no mínimo obscuro: escrever a história da família Vanger, dona de um império industrial que já havia sido um dos maiores, e ajudá-lo a desvendar o misterioso não-solucionado caso do desaparecimento de Herriet Vanger, sobrinha preferida de Henrik que havia desaparecido durante uma reunião da família. E pior: Henrik acreditava veemente que o culpado pelo assassinato (no qual, apesar de ninguém ter certeza, ele também acreditava) de Herriet era algum membro da família Vanger. Para cumprir as duas tarefas que lhe foram incumbidas, Mikael seria obrigado a conviver com todos os Vangers e viver isolado na ilha onde a maioria residia e onde Herriet havia desaparecido. É graças a tudo isso que Mikael vê seu caminho cruzando com o de Lisbeth Salander, uma hacker de inteligência imensurável e igual rebeldia, com inúmeras tatuagens pelo corpo e inúmeros problemas psicológicos que inclusive a obrigavam a possuir um tutor, mesmo já estando na maioridade. Em outras palavras, uma doidinha (com um toque de psicopatia). Juntos eles vão tentar não apenas desvendar o misterioso sumiço de Herriet como também reerguer a credibilidade de Mikael e da Millenium desmascarando - dessa vez com provas - Hans-Erik Wennerström.

    "Os Homens que Não Amavam As Mulheres" possui em suas 524 todos os elementos capazes de prender um leitor do início ao fim: política, manipulação, suspense, personagens complexos, relacionamentos complexos e principalmente, fazendo jus ao nome, muita violência contra a mulher, algo que de acordo com os dados mostrados no livro era muito comum na sociedade sueca. Ao chegar na última página você chega a conclusão de que o livro não poderia ter um nome que fizesse mais sentido.

    Stieg Larsson consegue narrar várias tramas diferentes e transformá-las em uma única e harmoniosa história. Ele não deixa nenhuma ponta solta, nenhum fato pra trás, nenhum personagem pouco trabalhado. Aliás, excelentes personagens.

    E é impossível falar deste livro sem exaltar a personagem Lisbeth Salander. Ela fascina o leitor com sua personalidade tão complexa e intrigante. Ela é o tipo de personagem que eu mais gosto. Maluca, inteligente e meio sádica. Tão problemática e tão diferente, Lisbeth já faria valer a leitura do livro. E a trama que a envolve, tanto de seu passado quanto de seu presente, é realmente ótima! Como não poderia ser diferente, Lisbeth também sofre com a violência contra a mulher. Mas como eu disse que ela não é como as outras, Lisbeth responde a altura num dos melhores capítulos do livro e num dos mais perturbantes e ao mesmo tempo incríveis que já li. Sabendo que posso parecer meio sádica dizendo isso, eu terminei de ler esse trecho rindo horrores (eu adoro fazer comentários infelizes).

    Os Homens Que Não Amavam As Mulheres é apenas o primeiro dos três livros que compõem a trilogia Millenium. Foi adaptado para os cinemas pelos suecos e ouvi dizer que o filme não é lá essas coisas, porém Hollywood também se rendeu a série e está criando sua versão, e como bem sabemos, ninguém faz filme como os americanos, portanto, aguardo ansiosa o lançamento.

    A morte prematura de Stieg Larsson de um ataque cardíaco aos 50 anos, logo após entregar pra editora os manuscritos da trilogia, foi realmente uma grande perda. Um grande autor, que escreveu grandes livros e que poderia ter escrito muito mais se a vida tivesse o deixado por aqui mais tempo. E numa época onde tantos péssimos autores e péssimos livros têm surgido aos montes, realmente me sinto de luto por ele e por outros que nos abandonaram recentemente (menções honrosas: Saramago, Salinger, Sidney Sheldon) e os que eu sequer tive o prazer de conhecer (Tolkien, Lewis, entre muitos e muitos outros).

    Eu temo pelo futuro literário.

    Enfim, recomendo o livro, com certeza. E por hoje é só! :)

8 comentários:

Alex Zigar disse...

Eu temo pelo fim dos leitores. Parabéns pela resenha, menina. E também pelo ótimo trabalho de incentivo à leitura.

Abraços.

Lucas disse...

Tenho muita pena dos jovens leitores de hoje, o que serao dessas pobres crianças sem os bons autores do passado?
A cada ano que passa, surgem varios autores, que lançam no mercado varias "obras" (se for possivel chamar de obras) e o que é possivel perceber com tudo isso? Que a literatura de verdade esta perdendo as forças, parece que as obras de hoje em dia estao centradas aos romances de baixa qualidade ou tambem nas historias sem conteudo algum (por favor, nao estou generalizando, exitem sim muitos autores contemporaneos otimos, basta saber escolher) e quem perde com tudo isso?
Todos nos, os "famintos" por leitura, que procuram sempre uma boa obra para se aventurar.
É uma pena que autores como Stieg Larsson, Saramago, Sidney Sheldon entre outros venham a falecer e nos deixem aqui nesse mundo repleto de "historinhas de "vampiros" apaixonados".
Concordo com Alex no fim dos leitores, mas nao vamos nos preocupar, apenas esperar que surja uma boa alma talentosa para nos salvar das historias sem conteudo.
Muita critica para um comentario só, Marina, meu amor parabens pelo post. Voce tem muito talento e escreve cada vez melhor, parabens mesmo.

Vou ler com certeza a Trilogia Millenium, sao livros que "valem a pena"

Amo voce Linda

Caline disse...

Oi Marina ganhei a Trilogia de presente do Dia dos namorados, meu namorado já estava de saco cheio de me pouvir falando q ia comprar e me deu.

E olha, se vc gostou desse primeiro livro, vc vai se apaixonar pelo segundo Lisbeth está ainda melhor. Ela é fantástica, sempre rouba a cena. Estou demorando a terminar, não pq esta ruim é so que ele é longo e a história dessa vez é mais densa, requer total concentração pra absorver tudinho, não deixar passar nada.
Sem duvida é uma pena ele ter morrido e deixado apenas esses 3 livros como legado para nos leitores.

Xero.
Caline
Mundo de Papel

Marigcr ^-^ disse...

Oie,
Sinceramente, eu comecei a ler o livro e desanimei na página 30. Falava muito de economia e era super chato. Não acredito que eu vá voltar à ler ele de novo, mas dizem que é muito bom mesmo.

Beijos,
Marigcr,
CAFE COM BAUNILHA

Kel disse...

Eu vi o filme e gostei muito, imagina então o livro...Deve ser mil vezes melhor...bjs...

Amanda Lemos disse...

Muito interessante o blog !
Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...;

www.bolgdoano.blogspot.com

Muito Obrigada, desde já !

Vanvan disse...

Eu tenho este livro aqui em casa, aliás, tenho os dois primeiros, falta só o terceiro para completar a trilogia, mas acredita que ainda não li?
Talvez seja por causa do tamanho do livro...rsrs.
Mas eu sei que são MARAVILHOSOS!

http://balaiodelivros.blogspot.com/

Pah Montanari disse...

Droga, terei de lê-lo agora ¬¬

Postar um comentário